TOP 10 – TOKUSATSUS (PARTE 1 – SOLOS)

Sem Título-1


Galera, antes de mais nada, gostaria de explicar o que são e como se dividem as categorias de Tokusastus, pois bem, vamos a elas:
Metal Hero: São os heróis que usam armaduras feitas de metal, como o Jaspion.
Super Sentai: Normalmente esquipes e que disponibilizam-se de veículos e/ou robôs gigantes durante suas batalhas. Ex. Flashman.
Henshin Hero: Normalmente heróis que não se encaixam em classe nenhuma e que se transformam em heróis (quase todos).Ex. Lion Man.
Kyodai Hero: Heróis ou robôs gigantes que lutavam e que não fizessem parte da família Ultraman. Ex. Spectreman.

De uma forma bem resumida, os tokus (carinhosamente chamando) são heróis da cultura japonesa, trajados com roupas que o elevam ao nível de heróis, sejam estes do bairro, heróis da cidade, heróis do país, do mundo ou até mesmo do espaço.

Sabendo disso tudo, vamos ao que interessa. Nesse primeiro Top 10 falaremos dos heróis sem classificá-los por gêneros e sim por quantidades, e nesse primeiro será sobre os heróis solos, aqueles que além de ter o nome do Tokusatsu ainda não tem nenhum parceiro, que os tornaria uma equipe (todos tem sempre alguém que os ajude nas batalhas, seja como ajudante, namorados,mestre ou chefe).
Más vamos lá, lembrando que muitos ficarão de fora e esse da lista serão os que mais gostei quando assisti.


10 – Gyaban (Gavan)

Metal_Hero_-_Space_Sheriff_Gavan

Foi exibido no Brasil em 1991 na Rede Globo e logo após foi exibido TV Gazeta, no programa Gazetinha. Curiosidades: É a primeira da trilogia dos Policiais do Espaço, continuada pelas duas séries seguintes, Sharivan e Shaider, mas n o Brasil ela foi exibida depois de Sharivan, em canal diferente, com dubladores diferentes, confundindo os telespectadores da época. Sharivan exibido na Rede Bandeirantes em 1990 e Gyaban exibido na Rede Globo em 1991 e Shaider a terceira série da trilogia foi exibida na Rede Globo em 1992.
História: A Organização Criminosa Makuu percorre o espaço conquistando planetas, matando seus habitantes e escravizando seus povos. A União da Polícia Galáctica envia o oficial Takeshi Ichijoji (Retsu Ichijoji no original) para a Terra para que detenha a invasão de Makuu. O pai de Retsu também foi Policial do Espaço e foi capturado pela Makuu anos atrás. Ao chegar à Terra, Retsu usa a Combat Suit prateada e todas as suas armas de alta tecnologia contra a Makuu, dizimando seus monstros um a um, ao mesmo tempo em que procura pelo pai desaparecido.


09 – Sharivan

Sharivan

É a segunda série da trilogia dos Policiais do Espaço, sucedendo Gavan. Produzida pela Toei Company, a série foi exibida originalmente entre 4 de março de 1983 e 24 de fevereiro de 1984 pela TV Asahi, totalizando 51 episódios. No Brasil, foi transmitida nas tardes da Rede Bandeirantes a partir do dia 8 de outubro de 1990 a 21 de dezembro do mesmo ano, sendo parte integrante do programa TV Criança. Posteriormente foi exibida na Rede Record em 1993 (a partir de 13 de maio, pelas manhãs) e na TV Guaíba, de 13 de setembro de 1993 a 15 de janeiro de 1994, na Sessão Série, às 11h e 14h. Voltou a ser exibido em 1996 pela Rede Record no programa Tarde Criança junto com os outros heróis japoneses. Em 1998, teve uma exibição regional para o RJ durante o meio-dia, também na Rede Record.
História: Den Iga passa a ocupar o posto de Detetive Espacial na Terra, enquanto que seu antecessor Gyaban é promovido para capitão. Desta vez a ameaça é a Sociedade Secreta Mad (Maddou no Original), liderada por Maoh Saiki (Maoh Psycho).


08 – Shaider

0224_shaider939_02

É a terceira e última série da trilogia dos Policiais do Espaço. No Brasil, Shaider foi exibido em 1990 pela TV Gazeta de 19/11/90 até 23/03/91. Posteriormente, exibido pela Rede Globo inicialmente aos sábados pela manhã (7h35) de 6 de abril a 22 de junho de 1991. Em 1992, foi remanejado para as madrugadas de sexta para sábado e sábado para domingo, junto com Bicrossers, no período de 14 de junho de 1992 até 10 de janeiro de 1993, sua última exibição. Posteriormente, foi adaptada para o público americano, juntamente com Spielvan e Metalder, pela produtora norte-americana Saban Entertainment como a série VR Troopers.
História: O terceiro Policial do Espaço a defender a Terra é Dai Sawamura, codinome Shaider, sua parceira Annie, é uma ótima lutadora e sempre ajuda a decidir os combates, A dupla luta contra o maligno Império Mágico Fuuma.


07 – Jiban

Jiban 3

Trazida ao Brasil pela extinta distribuidora Top Tape, foi exibido a partir de 1990 pela Rede Manchete. Ao todo tem 52 episódios, onde apenas 50 foram exibidos pela emissora carioca na época. Foi exibida recentemente de forma não autorizada pela Ulbra TV de Porto Alegre e Rede Brasil de Televisão.
História: O policial Naoto Tamura sacrificou sua vida para derrotar um dos monstros da organização Biolon, mas renasceu como o Policial de Aço Jiban, passando a combater o grupo maligno, liderado pelo Doutor Jean Marrie.


06 – Metalder

metalder

Foi exibido no Brasil de 2 de abril a 21 de dezembro de 1990 pela Rede Bandeirantes.
História: Em meio à 2ª Guerra Mundial, o especialista em robótica Doutor Koga desenvolveu o andróide Metalder como arma secreta do exército japonês para ser usado na Guerra do Pacífico contra os EUA. Como modelo o Doutor Koga utilizou o seu finado filho, Tatsuo Koga, segundo subtenente da Marinha Imperial. Porém o projeto foi abandonado. Em 1987, Koga descobre a existência do Império Neroz e pouco antes de morrer, ativa Metalder.


05 – Ultraman Tiga

Ultraman_Tiga

Produzido pela Tsuburaya Productions. Conta a história de uma família de guerreiros que vieram da Nebulosa M-78 e procuram um hospedeiro humano na Terra para poder combater os monstros alienígenas que querem invadir o planeta. Os guerreiros Ultra e seus inimigos possuem tamanho gigante. No entanto, nem todas as séries do género possuem seres Ultra, como a pioneira Ultra Q (1966) e seu remake Ultra Q – Dark Fantasy (2004). No Brasil, foram exibidas Ultraman, Ultra Seven, Ultraman Jack e Ultraman Tiga.
Ultraman Tiga foi exibido no Brasil em 2000, na Rede Record, no extinto programa Eliana & Alegria. Além da série foi exibido o filme do herói que se chama Ultraman Tiga – A Odisséia Final. Ultraman Tiga foi o único dos tokusatsu exibido no Brasil que seu filme veio pro cá.


04 – Machine Man

Machine man[1]

Foi exibido no Brasil pela Bandeirantes , Record e REDE NGT (é uma rede de televisão na cidade de São Paulo e uma sucursal no Rio de Janeiro).
História: Viajando na nave Space Colony, Nikku é acompanhado por um robozinho voador chamado Ball Boy, o qual foi construído segundo o formato de uma bolinha de beisebol. Usando o nome humano de Ken Takase, ele acaba salvando de um acidente a bela fotógrafa Gunko, a qual se apaixona ao longo da série. Gunko estava tirando fotos para uma matéria sobre um prédio que havia desabado misteriosamente. Mais tarde, ela e Ken descobrem que tudo foi obra da organização Tentáculo, uma gangue liderada pelo inescrupuloso Professor K (Hideo Amamoto). O velhinho é um homem que odeia crianças e quer fazer de tudo para acabar com elas. Diferente dos vilões convencionais, o Professor K não pretendia dominar o mundo, apenas se livrar das crianças. Então, para proteger sua amada Gunko e as criancinhas da Terra, Nikku resolve usar sua avançada tecnologia e seus poderes superiores e acaba assumindo a alcunha de Machine Man. O que pode parecer uma mera espada de esgrima é na verdade uma poderosa arma que, quando energizada, dá cabo dos robôs mais mortíferos do Professor K. Além da espada e sua capa transparente, Machine Man conta com o veloz carro Dolphin que podia se transformar numa espécie de jato.


03 – Kamen Rider Black RX

Black_rx

Foi exibido na televisão brasileira pela Rede Manchete a partir de 24 de julho de 1995. É uma série tokusatsu de televisão pertencente à franquia Kamen Rider, sendo a continuação direta de Black Kamen Rider. Criado por Shotaro Ishinomori em 1969, o Kamen Rider foi um personagem de enorme sucesso em mangá. Adaptado para a televisão em 1971, teve diversas versões nou tras séries e gerou uma franquia próprio.Os Kamen Riders têm por característica serem super-heróis com uma roupa (atualmente uma armadura) de gafanhoto e possuirem uma moto.No Brasil, as únicas séries exibidas foram Kamen Rider Black e sua continuação, Kamen Rider Black RX que falaremos mais agora:
História: Investigando o misterioso aparecimento de três estacas enquanto pilotava um helicóptero, Kotaro Minami (Issamu Minami na dublagem) encontra três monstros chamados Kaima, cujo aspecto lembrava aos sacerdotes da série anterior, que conseguem impedir sua transformação em Kamen Rider Black. Issamu é levado à base do Império Crisis, que propõe uma aliança em troca de dobrar seus poderes como Kamen Rider Black. Ao recusar a oferta, Issamu é jogado à deriva no espaço. No entanto, a radiação do sol que entra em contato com o Kingstone existente em seu corpo provoca uma inesperada mutação e Issamu é lançado na Terra renascido como Kamen Rider Black RX, o Filho do Sol (Taiyō no Kō Kamen Raidā Burakku Aaru Ekkusu). Ao longo da série, RX ganhará ainda outras duas formas alternativas: RoboRider e BioRider.


02 – Jiraya

Jiraya

A série diferenciou-se de suas antecessoras por quebrar o padrão das séries anteriores na qual está inserida, introduzindo um herói sem superpoderes e utilizar como temática a tradição japonesa dos ninjas, até então nunca explorada nos Metal Heroes. Foi trazida ao Brasil pela extinta empresa Top Tape e estreou no dia 2 de outubro de 1989 pela Rede Manchete, continuando a fazer muito sucesso na década de 90. Mais tarde voltou a ser exibida pela mesma emissora entre 1998 e 1999. Com a falência da Manchete, a série foi exibida ora pela manhã, ora ao final de tarde na RedeTV! até meados de 1999, pouco antes da emissora estrear a sua programação definitiva.
História: Jiraiya (Takumi Tsutsui) é um guerreiro ninja que foi treinado pelo seu pai adotivo Tetsuzan Yamaji (Masaaki Hatsumi), um sábio mestre das artes marciais, para ser seu sucessor na Família de Feiticeiros Togakure. Seu principal desafio é enfrentar um malígno clã da Família de Feiticeiros, que procura o Pako, o antigo mapa para um misterioso tesouro.


01 – Jaspion

jaspion

Foi exibido no Brasil a partir de fevereiro de 1988 pela REDE MANCHETE,no programa vespertino “Clube da Criança”,apresentado pela “Angélica”(em começo de carreira na TV(2º programa dela) obtendo enorme sucesso e desencadeando uma febre nacional pelo gênero de super-heróis Japoneses no país), abrindo as portas para a importação de novas produções “Tokusatsu”.Devido à popularidade gigantesca, o personagem JASPION tornou-se o protótipo do herói Japonês, imagem que se mantém até os dias atuais. Também foi exibido pela REDE RECORD continuando a manter ótimos índices de audiência. Posteriormente, em 1997, foi transmitida pela CNT/Gazeta.
História: No planeta Edin, uma estrela a muitos anos-luz de distância da Terra, o profeta Edin encontra um garoto humano que sobreviveu à queda de uma nave espacial no planeta, acidente no qual seus pais morreram. Acreditando nas profecias da Bíblia Galáctica, a qual preceituava que um guerreiro celestial salvaria a galáxia e o universo das forças do mal, Edin crê ser este o garoto predestinado a se tornar o lendário guerreiro. Ele adota o menino e o cria sozinho, dando-lhe o nome de Jaspion, na esperança de que, algum dia, o garoto venha a combater as ameaças do temível Satan Goss, do Império dos Monstros. Anos mais tarde, já adolescente, Jaspion aprende sobre seu destino, e aceita de seu “pai” os equipamentos que seu mentor construiu para auxiliá-lo. Entre os artefatos, estão a armadura Metaltex, feita do metal mais resistente do universo (metal Ejinium); a andróide Anri, que passa a ser sua companheira na jornada, e a nave espacial Daileon, que tem o poder de transformar-se em um poderoso robô gigante. Sua missão é encontrar os pedaços da Bíblia Galáctica (que havia se espalhado pelo Universo após o planeta ancestral de Edin ter sido destruído por um cometa) e destruir o império de Satan Goss.


Menções Honrosas


JanpersonScreenshot_1

Este Metal Hero de 1993 conta a história de um detetive robótico que patrulha as ruas de Tóquio e acaba lutando contra três grandes organizações criminosas. Com um clima bem diferente de seus antecessores, Janperson traz tramas um pouco menos fantásticas e um andamento mais “episódico” que o padrão da franquia. Um grande diferencial, é quem quase nunca aparece o tão tradicional “monstro da semana”, geralmente o protagonista combate criminosos que lembram personagens de romances policiais.


Spectremanestátua-do-spectroman-spectreman-statue-19015-01

O seriado contava a luta do androide Spectreman contra o genial cientista Gori e seu divertido auxiliar, Karas — ambos simioides (homens-macaco). Além da tradicional guerra do bem contra o mal, as aventuras de Spectreman faziam com que o telespectador refletisse sobre os problemas causados pela poluição. O tema esteve presente em praticamente todos os episódios — os monstros criados pelo Dr. Gori usavam o lixo como matéria-prima.


Lion ManLioman

O seriado tem seu contexto na época do Japão feudal, onde para qualquer guerreiro, mais importante que a propria vida era manter sua honra. Ele conta a história de Dan Shimaru, um samurai de 21 anos que, após ter o irmão Dan Cage Noshin morto por Nezuma, um monstro humano aliado da inescrupulosa família Mantor do Diabo , parte para a batalha movido por um desejo misto de vingança e justiça. Esta série conta com 25 episódios recheados de muita ação e lutas épicas.


Lion Man Branco

 lionbranco1

Após o final da série de Lion Man , a Manchete exibiu um tempo depois 10 episódios de Kaiketsu Lion Maru (Extraordinário Lion Maru) como se fossem episódios inéditos de Lion Man, só que nessa versão o herói tem a forma de um leão branco. Embora exibido incompleta após “Fuun Lion Maru”, “Kaiketsu Lion Maru” é uma série feita antes e possui o total de 54 episódios. História: No final do século 16, um trio de órfãos ninja estão vagando no Japão a salvar as pessoas do mal, lutando contra Gosun até o fim da série.


National Kid

nationakis

No Brasil foi exibida de 1964 até início dos anos 1970 pelas TVs Rio, Record e Globo. Numa delas as fitas com a dublagem original dos anos 60 teriam sido perdidas num incêndio. Na internet pode ser encontrada a abertura original com esta dublagem dos anos 60 e outras mais modernas. A série só parou de passar na TV porque o então Ministro da Justiça da ditadura militar, Alfredo Buzaid, censurou todas as séries que tinham super-heróis voadores. O decreto-lei 1077 de 26 de janeiro de 1970 institui a censura a tudo que pudesse atentar contra a moral e os bons costumes. Alguém teria pensado que heróis voando atentavam aos bons costumes. Foi exibida pela também pela extinta Rede Manchete em 1996.


Robô Gigante

10116606

Foi exibido no Brasil pela TV TUPI(anos 70) e TV RECORD(até início dos anos 80) A série conta as aventuras de um garoto que podia acionar um robô gigante através de um relógio de pulso. O robô tinha feições de uma esfinge, nos anos 90 ganhou versão em OVA.


Vingadores do Espaço

 Goldar_thumb9

Foi exibida no Brasil nos anos de 1973 e 1974,sendo reapresentada em 1980 com nova dublagem. Exibida 1º no Programa do CAPITÃO AZA na emissora TV TUPI( Este canal saiu do ar em 1980),e logo após no início dos anos 80 foi para TV RECORD e depois foi para a TV BANDEIRANTES.


Patrine

capa

Sobre a Patrine eu já fiz um especial sobre ela, confira clicando AQUI.


Então é isso pessoal, essa foi a primeira de 3 partes que farei sobre os heróis japoneses que fizeram sucesso no Brasil . Até a próxima!


Gostou? Compartilhe!



[Total: 1    Média: 5/5]

Flamenguista fanático, viciado em animes, séries, filmes e games . Frase: “Eleve seu cosmo, aumente seu ki, confie no coração das cartas e nunca se alie ao lado negro da Força”.